sexta-feira, 30 de julho de 2010

O animal que ri. (Osho)

"A vida inteira é uma grande piada cósmica. Não é um fenômeno sério — leve-a a sério e você continuará a perder o essencial. Ela só é compreendida por meio do riso.

Você não observou que o homem é o único animal que ri? Aristóteles diz que o homem é o animal racional. Isso pode não ser verdade — porque as formigas são muito racionais e as abelhas são muito racionais. Na verdade, comparado às formigas, o homem parece quase irracional. E um computador é muito racional — comparado a um computador, o homem é muito irracional.

A minha definição do homem é que ele é o animal que ri. Nenhum computador ri, nenhuma formiga ri, nenhuma abelha ri. Caso venha a se deparar com um cachorro rindo, você ficará assustado! Ou se um búfalo de repente rir: você pode ter um ataque do coração.

É só o homem que pode rir; é o pico mais alto do crescimento. E é por meio do riso que você alcançará a Deus — porque é só por meio do mais alto, que está em você, que você pode alcançar o supremo. O riso tem de se tornar a ponte.

Ria no seu caminho para Deus. Eu não digo ore no seu caminho para Deus, eu digo ria no seu caminho para Deus! Se você puder rir, será capaz de amar. Se puder rir, será capaz de relaxar. O riso relaxa como nenhuma outra coisa."

Retirado do blog Palavras de Osho.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

A poética do clown...

Sus grandes verdades:

El Clown representa nuestro mejor otro yo y la posibilidad, por tanto, de practicar la esquizofrenia sana;
El clown es y siempre debe ser auténtico;
El clown es sincero y espontáneo;
La mirada del clown es un espejo a través del cual vemos su interior y nuestro reflejo en él. Por tanto, es transparente. Sus intenciones se ven, incluso cuando intenta engañar;
El clown es apasionado, todo lo siente y lo hace al 100 % de intensidad;
El clown es la esencia de nuestro niño interior filtrada por las experiencias;
El clown es creativo y la creatividad se manifiesta en su estado más puro ante las limitaciones;
El clown es un ser libre y, desde esa libertad, se relaciona con el espacio, el tiempo, los objetos y las personas.

Escrito por Jesus Jara, retirado do blog Clown e Linguagem.

terça-feira, 27 de julho de 2010

O branco e o augusto. (Federico Fellini)

Federico Fellini
"Quando digo o clown, penso no augusto.  Com efeito, as duas figuras são o clown branco e o augusto.  O primeiro é a elegância, a graça, a harmonia, a inteligência, a lucidez, que se propõem de forma moralista, como as situações ideais, únicas, as divindades indiscutíveis.  Eis que em seguida surge o aspeto negativo da questão.  Pois dessa forma o clown branco se converte em Mãe, Pai, Professor, Artista, o Belo, em suma, no que se deve fazer.

Então o augusto, que devia sucumbir ao encanto dessas perfeições, se não fossem ostentadas com tanto rigor, se rebela.  Vê as lantejoulas cintilantes, mas a vaidade com que são apresentadas as torna inalcançáveis.  O augusto, que é a criança que faz sujeira em cima, se revolta ante tanta perfeição, se embebeda, rola no chão e na alma, numa rebeldia perpétua.

Essa é a luta entre o orgulhoso culto da razão, onde o estético é proposto de forma despótica, e o instinto, a liberdade do instinto.

O clown branco e o augusto são a professora e o menino, a mãe e o filho arteiro, e até se podia dizer que o anjo com a espada flamejante e o pecador.  São, em suma, duas atitudes psicológicas do homem, o impulso para cima e o impulso para baixo, divididos, separados.

O filme [I Clowns] termina com as duas figuras se encontrando e desaparecendo juntas.  Por que comove essa situação?  Porque as duas figuras encarnam um mito que está dentro de cada um de nós – a reconciliação dos opostos, a unidade do ser.

A dose de dor que existe na guerra contínua entre o clown branco e o augusto não se deve às músicas nem a nada parecido, mas ao fato de presenciarmos a algo que se liga à nossa própria incapacidade de conciliar as duas figuras.  Com efeito, quanto mais procures obrigar o augusto a tocar violino, mais dará soprinhos com o trombone.  O clown branco ainda pretenderá que o augusto seja elegante.  Mas quanto mais autoritária seja essa intenção, mais o outro se mostrará mal e desajeitado.

É o apólogo de uma educação que procura pôr a vida em termos ideais e abstratos.  Mas Lao Tsé dizia com acerto:  Quando produzas um pensamento (= clown branco), te ri dele (=clown augusto)."


Trecho do comentário que fez Fellini sobre seu filme I Clowns, feito para a televisão em 1970, presente no livro "Fellini por Fellini", L&PM Editores Ltda., Porto Alegre, 1974, págs. 1-7.  Tradução de Paulo Hecker Filho.

domingo, 25 de julho de 2010

O inesquecível dia 18/07/2010

Foto por Bruna Perina

Fizemos um concurso cultural no Gandaiá. Quem escrevesse a melhor redação sobre o encerramento do Curso "Baião de Doido Ops! de Dois" ganhava um beijo meu! Não sei porque razão ninguém se interessou em escrever texto algum, alias, alguns até escreveram, mas não enviaram para o concurso (não entendi porque ainda).

Enfim, na falta de pessoa dispostas a ganhar um beijo, sobrou pra mim mesmo escrever sobre o encerramento. Foi num domingo quente e ensolarado (coisa típica de Indaiatuba) e nos reunirmos de manha para ajustar os últimos detalhes das esquetes. A tarde, por volta das 3 horas, começamos a apresentação com a convidada especial Gelsomina. Logo entrou o nosso grande apresentador/bailarina Gabriel para apresentar as esquetes que foram apresentadas: La Dança; (Des)Construção; O Apego; Stress e Paz; Relaxamento; Banana.

Deixando os detalhes de lado, tenho que falar que foi tudo muito lindo! Estavam todos lá, pais, mães, primos, filhos, tios, avós, cachorros, amigos, tietes, fãs, andarilhos, desocupados, transuentes, vendedores de coco, e até alguns amantes de clown para ver as esquetes dos clowns utilizando as técnicas de Laban, passadas nas semanas anteriores pela Lígia Ruvenalth. Foi uma experiência incrível para todos, uma fantástica troca de experiência e boas energias entre todos os presentes, tanto aos clown que apresentavam quanto a platéia que observava, com amor e paciência exemplares (nhóóó). Inesquecível, com certeza entra pra (por enquanto curta) história do Gandaiá.

O Curso Baião de Doido, Ops! De Dois é um projeto de Lígia Maria Ruvenalth que foi no mês de julho promovido pela Secretaria Municipal de Indaiatuba com a participação de nós do Grupo Gandaiá e de alguns amigos e interessados. Vejam mais fotos desse dia no flickr no Gandaiá.

Postado por Marcus V. Mazieri, ou Markito mesmo.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Gente chic aparece em site!

Notícia de 12/07/2010, as 15:27h:



"O Curso de Aprimoramento de Clown “Baião de Doido, Ops! De dois”, realizado pela Secretaria Municipal de Cultura no Centro Cultural Wanderley Peres, se encerra no próximo domingo (18) com a apresentação dos alunos, na Praça Dom Pedro II, às 15h, aberta ao público. Segundo a professora e diretora teatral cooperada pela Cooperativa Cultural Brasileira, Lígia Ruvenalth, a população poderá conferir as técnicas desenvolvidas com os participantes durante as aulas.
O curso acontece de 3 a 18 de julho, aos sábados e domingos, das 14h às 17h. Entre os participantes estão integrantes do grupo “Clown Gandaia” e outros interessados. Nas aulas, os alunos aprendem a parte teórica e prática de duas técnicas distintas: Clown e de Rudolf Laban."


Viram? Não? Voltem e leiam de novo "Clown Gandaiá". Viram agora? Hein? É AGENTE! É AGENTE! É AGENTE! Isso mesmo, vamos estar na Praça Dom Pedro II (aquela em frente a Pernambucanas sabe?) as 15h, nesse domingo. Vai lá ver agente? Diz que siiiiiiiiiiiiiiim! Vai!


Essa notícia foi retirada do site da Prefeitura Municipal de Indaiatuba.
E essa postagem quem fez fui eu (Marcus V. Mazieri).

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Chico e Harpo

Se liguem na esquete do Chico e Harpo, dos Irmãos Marx, tocando piano. Sensacional! Eles nem disfarçam que são clowns, caras de pau! Vale muito a pena ver.


Postado por Marcus V. Mazieri, manuseando o mouse com a mão esquerda.

domingo, 11 de julho de 2010

Gandaiá apresenta os Cinesfera boys!

O Cinesfera¹ Boys² é um grupo pop-korn de Indaiatuba que adquiriu fama recentemente devido a seus movimentos peculiares cinesferáticos desenvolvidos na praça dos bombeiros. Apesar da especulação e do apoio do público aficcionado (39 exibições no youtube em menos de 5 dias), o grupo afirma não ter objetivos a longo prazo. "O problema é que já temos um grupo de clown que nos toma muito tempo..." afirma Robson Oliveira, membro do clown Gandaiá, vocalista do Cinesfera Boys, empresário de sucesso no ramo de webdesigner, membro fiscal do Gandaiá, palhaço do Gandaiá, estudante de medicina, malabarista e filho de Laban.



Entretanto, o grupo afirma que não decepcionará os fãs: "Temos muitas outras danças ritmadas com menos de 30 segundos que acreditamos que serão sucesso entre os jovens" afirma Marcus Vinicius, icone da banda.





¹Cinesfera=kinesfera é a esfera que delimita o limite natural do espaço pessoal, no entorno do corpo do ser movente.' É um conceito que pertence ao Método Laban de Análise do Movimento.

²Boys = Meninos ou algo bem próximo disso.





Postado por Jack Bruno, integrante dos Cinesfera Boys.

Um Remédio Redondo e vermelho!

Quando nascemos é tudo novo, estranho: tudo inocência. (Clown é inocência também! )
Então começamos a explorar, a descobrir este novo mundo!
Conforme crescemos as coisas vão se transformando, tanto fora quanto dentro de nós.
Poucos dão atenção ao que vai crescendo por dentro...
Talvez porque seja mais difícil de ver e/ou definir, portanto, até mesmo mais dificil de acreditar e/ou simplesmente aceitar...
E o tempo não colabora... Vai correndo em direção ao futuro e o presente já virou passado... E você vai vivendo, sem perceber o que esta por acontecer, vai fechando os olhos pra realidade em que aos poucos você se transforma.
Vai criando um mundo só seu, a razão é sua, a vontade é sua. O ego e o egoismo também, só seus.
Aos poucos você vai vestindo máscaras sobre máscaras, influenciado pela sociedade.
Acordar disso pode doer... É uma escolha... Quando você decide que é hora de mudar, então é hora de tomar uma atitude.
Cada um acorda de uma forma, por um caminho diferente, quando finalmente decide que vai fazer a diferença neste muno.
A minha foi um certo remédio redondo e vermelho!
Um remédio que me deu a oportunidade de tirar todas essas máscaras que não valhem a pena.
Um remédio que desintoxicou minha alma e lavou com lágrimas o meu íntimo, que só queria uma nova chance para se descobrir e se aprimorar!

O meu MUITO OBRIGADA a VIDA por esta oportunidade de conhecer toda esta mística por tras do Nariz Vermelho!
E muito obrigada a todos aqueles que fizem parte disto!!! (ao Gandaiá! :D)


Postado por Nathália Helena Vieira Ribeiro (clown Luna).

sexta-feira, 9 de julho de 2010

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Gandaiá numa Festa Junina!


Oito clowns saíram da cidade de Indaiatuba num percurso cheio de perigos e emoção até a pacata cidade de Vinhedo. A missão era simples: AGITA O POVO! E lá fomos nós! Chegamos num lugar lotado de pessoas estranhas, de narizes pequenos e roupas esquisitas. Lá ficamos, nos adaptamos, fizemos amigos, inimigos, alguns até ganharam um correio elegante (Neco, malandro hein!).

Tudo foi bem tranquilo, nada como uma festinha junina para aliviar a tensão não é mesmo? A esquete do casamento que a gente apresentou foi umas das mais estranhas da história do Gandaiá! Ninguém entendeu nada, nem nós mesmos, mas eu afirmo com total sabedoria: A lógica é inimiga perfeição!

Nos dividimos em duplas, mas num lugar tão grande era fácil se perder e de se achar novas combinações. E todos foram se revezando e testando novas duplas, novos jogos e novas amizades (ó que liiindo!). Se eu tivesse que resumir essa intervenção junina em uma letra, seria "H", em uma palavra, seria "MELÃO", e em um número, seria "10".



Postado por Marcus V. Mazieri (clown Nito Patela)

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Sim, nós temos um comercial!

Quem disse que comercial de televisão é coisa das grandes marcas de cerveja, comida e perfume? Vocês serão agora surpreendidos com o comercial de televisão do Gandaiá! Isso mesmo, agora a gente tem nosso próprio comercial pra televisão! Tudo bem, confesso que você não verá nosso comercial no intervalo da novela das 9 (credo) e nem nas madrugadas com o R.R. Soares, mas em breve ele vai aparecer na televisão sim, fiquem espertos.

O videozinho conta um pouco do que é o clown, do que é o Gandaiá e do que nos faremos pra esse ano. E vou contar que gravar tudo isso não foi fácil viu. Gravava uma vez, daí gravava outra, e mais outra, e não dava certo, e o Vini gaguejava, e estragava tudo! Perdi a conta de quantas vezes saímos pulando no característico "EEEEEEEEE" empurrando o coitado do Bruno (coitado nada). Mas no final, como sempre, tudo deu certo (ou melhor, deu no que deu, né). 

Eu sei que agora você, meu caro leitor, está super curioso pra ver o vídeo (ou não), então eu vou ser legal e ao invés de mandar você ir procurar no youtube, ou clicar num link por aí, vou facilitar e fazer você assistir na nossa página mesmo!



E aproveita pra dar uma olhada na TV Gandaiá, nosso canal no youtube. 


Postado por Marcus V. Mazieri, um padawm clown.
Vídeo postado pelo Jack Bruno, mestre em copiar códigos html no blog dos outros!